As aulas serão retomadas? Confira neste protocolo  como isso deve acontecer

As aulas serão retomadas? Confira neste protocolo como isso deve acontecer

junho 17, 2020 0 Por Diretoria

Devido ao avanço da pandemia no País e à irresponsabilidade do Governo Bolsonaro em enfrentar o Coronavírus desobedecendo orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde), aumentou a pressão para a retomada das atividades econômicas e sociais. A postura do Presidente tem, inclusive, gerado o enfrentamento político e ações de vários governadores de partidos diferentes em favor da sociedade e da proteção à vida.

Muito se fala na retomada das aulas presenciais. Para isso, no entanto, é preciso e extremamente necessário um cuidadoso e responsável protocolo de segurança que viabilize que essa volta aconteça.

Os professores enfrentarão os maiores obstáculos e diversidades de ambientes escolares. Por isso se faz necessário uma corresponsabilidade entre famílias, escolas e professores(as).

Enquanto Sindicato – órgão de classe que zela pelo bem estar dos professores que representa, sugerimos um minucioso protocolo para retorno às aulas e caso não haja uma observância fiel a ele, entraremos no MPT (Ministério Público do Trabalho) contra as escolas de nossa base para garantir a saúde e a segurança de nossa categoria.

O que precisa ser observado:

1 – Os professores que pertencem ao grupo de risco determinado pela legislação deverão permanecer com o teletrabalho (home office) respeitando sempre sua carga horária contratada. Para ficar mais claro, leia abaixo:

– O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (São Paulo) concedeu tutela de urgência em decisão liminar impetrado em 16/03 quanto ao afastamento de professores em grupos de risco durante o período de suspensão de aulas motivado pela disseminação no novo Coronavírus.

“Nessa conformidade’, julga a desembargadora, “CONCEDO A TUTELA DE URGÊNCIA, para determinar que os professores que se enquadram no chamado “Grupo de Risco”, quais sejam, os professores idosos, hipertensos, com histórico de problemas cardíacos, asmáticos, com doenças renais, fumantes com deficiência respiratória e com um quadro de imunodeficiência, SEJAM DISPENSADOS DE COMPARECER AOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO, podendo prestar, na medida do possível, serviços à distância, em suas residências, a partir do dia 23 de março de 2020, até ulterior determinação”. Para ler texto na íntegra, clique aqui.

2 – As Escolas deverão fornecer materiais de higienização para todos que estão no ambiente escolar (inspetores de alunos, administração, cantineiro, professores, coordenadores etc). Sabão, sabonete, álcool em gel em todos os ambientes.

3 – Máscaras descartáveis deverão ser fornecidas aos profissionais a cada 2 horas.

4 – É preciso haver um local específico para o descarte das máscaras utilizadas.

5 – É preciso haver medidor de temperatura na entrada da escola (início das aulas). Aos alunos e professores que apresentarem temperaturas acima de 36,5 graus deverão retornar para suas residências e procurar atendimento médico SEM PREJUÍZO DE SALÁRIO (no caso do docente).

6- Os alunos deverão manter uma distância de 1,5 m dos professores utilizando sempre máscara; o aluno que colocar em risco a vida do professor descumprindo as regras sanitárias de proteção terão seus pais responsabilizados.

7- As salas de aulas deverão manter a distância entre as carteiras e alunos de 1,5 m.

8 – As salas deverão ser higienizadas durante os intervalos de aulas.

Check list de segurança completo. Imagem: iStock

9 – Os intervalos deverão ser reorganizados para evitar o intervalo de todas as turmas juntas, gerando aglomerações.

10 – As Escolas que tiveram mais de 1000 alunos deverão proporcionar testes rápidos disponíveis em farmácias a todos os profissionais da Instituição.

11 – Fornecer máscaras FACE SHIELDS.

12 – Luvas cirúrgicas.

Leia Também:
‘Ministério da Educação só propôs ações minúsculas na crise da Covid-19’, analisa Priscila Cruz em artigo
O educador deve decidir como será seu retorno às aulas
Volta às aulas em agosto? Quem está preparado?

13 – No caso do Sesi/Senai precisa ser discutida em mesas redondas com a participação de alunos de 4, 5 e até 6 alunos muito próximos.

Acreditamos que as escolas responsáveis com as ações de preservação à vida terão mais responsabilidade social e, consequentemente, mais visibilidade na sociedade e respeito do corpo docente.

Atenciosamente,

DIRETORIA DO SINPROSASCO